APÓS DEZ ANOS, PRISCILA KRAUSE SE DESPEDE DA CÂMARA DO RECIFE



 
 
 

Vereadora do Recife desde 2005, quando tomou posse pela primeira vez aos 26 anos, Priscila Krause (DEM) se despediu da tribuna da Casa de José Mariano, agora há pouco, em discurso emocionado. Eleita deputada estadual no pleito de outubro, Priscila assume o novo papel a partir de fevereiro de 2015, após três mandatos consecutivos como vereadora.
 
“Saio da Câmara dos Vereadores, mas o Recife jamais sairá de mim”, disse. No discurso, acompanhado pela maioria dos vereadores, Priscila disse que “se doou à Câmara do Recife”, lembrando suas participações nas comissões temáticas, em discussões como a revisão do Plano Diretor da cidade, nos debates no plenário e na fiscalização do Poder Executivo – “nas vezes que fomos aos órgãos fiscalizadores apresentar questionamentos em defesa dos contribuintes”, lembrou.
 
Além de vários funcionários da Casa, que citou nominalmente, Priscila homenageou os colegas na figura do ex-vereador Liberato Costa Júnior (PMDB), “com quem aprendeu e debateu”.
 
Em referência à nova fase da sua trajetória política – o mandato que assumirá na Casa de Joaquim Nabuco – Priscila assegurou que “manterá intacto o compromisso de exercer o mandato, dia a dia, tendo como guia valores e princípios que têm norteado a minha vida pública”.
Entre eles, destacou as liberdades política e econômica, sob a garantia do estado democrático de direito, o dever “indeclinável” de fidelidade ao eleitor e, por fim, a defesa “intransigente” do contraditório.
 
Priscila refutou a hipótese de se distanciar do seu eleitorado em benefício de acordos casuísticos. “Não serei refém das conveniências eleitorais, nem mesmo do pragmatismo político, quando confrontada com princípios e convicções. Estarei, sempre, a serviço dos interesses de Pernambuco e do zelo pela coisa pública”, finalizou.

Origem: Blog do Jamildo.

PREFEITO DE BOM CONSELHO ESTÁ FORAGIDO


O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou o habeas-corpus impetrado pela defesa do prefeito de Bom Conselho, Danilo Godoy (PSDB). A decisão deixou o prefeito na condição de foragido, podendo ser preso a qualquer instante.
Ele e os estudantes Jocelino Ramos de Carvalho Filho e Eduardo Cavalcante Ramos de Carvalho são acusados pelo homicídio de Rufino Gomes de Araújo Neto, dono de academia de artes marciais e professor de jiu-jitsu em João Pessoa (PB), conhecido como Morceguinho.
A decisão do relator revogou liminar anteriormente deferida que concedia direito à liberdade provisória aos três acusados. Rufino Gomes teria sido morto por conta de uma briga ocorrida durante o Fest Verão de 2011, na cidade de Cabedelo (PB), envolvendo o furto de uma garrafa de uísque. Testemunhas disseram que Morceguinho envolveu-se na briga para defender um amigo e foi morto pelos pernambucanos dias depois, em um crime premeditado.
DECISÃO
O ministro assentou em sua decisão que a Primeira Turma do STF consolidou entendimento no sentido da inadmissibilidade do uso de habeas corpus em substituição ao recurso ordinário, previsto na Constituição Federal. Contudo, salientou que o colegiado tem examinado a possibilidade da concessão da ordem de ofício. No entanto, segundo o ministro, não é o caso dos autos.
O relator observou que o decreto prisional expedido pelo juízo de origem está devidamente fundamentado na conveniência da instrução criminal, na garantia da ordem pública e na preservação de futura aplicação da lei penal.
Segundo o ministro, de acordo com a jurisprudência do STF, “a gravidade concreta dos fatos até então apurados justifica a custódia cautelar para a garantia da ordem pública”. As prisões, diz o relator, foram determinadas com base na gravidade concreta dos fatos, aferida diante do modo cruel do crime e da periculosidade dos acusados.
 
Origem: Blog do Magno Martins

FHC não quebrou o Brasil, mas o PT quebrou a Petrobras. Ou: Perda de valor de mercado corresponde a mais de 25 anos de Bolsa Família. Dilma, no entanto, brinca com Graça de Clube das Luluzinhas Enfezadas

 

Reinaldo Azevedo


Graça Foster escarnece dos fatos, e Dilma Rousseff escarnece da razão. Em seis anos, o valor de mercado da Petrobras foi reduzido a quase um sexto: de R$ 737 bilhões em 2008 para R$ 135 bilhões agora e dívida de R$ 330 bilhões. Ou seja: quebrou! O patrimônio público está evaporando. É a incompetência alimentando a roubalheira, e a roubalheira alimentando a incompetência. Quando nos lembramos de que o PT fez terrorismo com a suposta intenção dos tucanos de privatizar a estatal em 2002, 2006 e 2010, nos damos conta da obra desses vigaristas. Se Dilma insistir em não fazer nada, daqui a pouco ninguém aceita a Petrobras nem de graça. A gente não precisa fazer muitos malabarismos: houvesse um regime parlamentarista, o gabinete já teria sido dissolvido, e Dilma não se elegeria mais nem vereadora.
Não dá! As evidências de que Venina Velosa da Fonseca advertiu Graça para os procedimentos heterodoxos vigentes na Petrobras são inquestionáveis. E ela o fez em 2009, 2011 e 2014. Observem que não entro no mérito das motivações da denunciante. Se há algo contra ela, que se investigue. Que Graça dispunha de elementos para agir, que lhe foram fornecidos por uma alta executiva, isso é inquestionável. E ela não fez nada. Como não fez em fevereiro deste ano, quando VEJA trouxe à luz o escândalo envolvendo a empresa holandesa SBM Offshore. Ou melhor, fez: negou que houvesse irregularidades.
As ações da Petrobras despencaram outra vez. Há uma conjunção de fatores externos negativos, sim, mas isso não justifica a pindaíba em que se encontra. A estatal brasileira é hoje sinônimo mundial do que não se deve fazer, de má governança. É preciso ser um rematado idiota ou dotado de incrível má-fé para ignorar o que se passou por lá. E a sangria está longe do fim, uma vez que a empresa é agora investigada nos EUA, na Holanda e na Suíça. Se o descalabro continua, sem uma resposta efetiva do governo, a Petrobras, prestes a perder a classificação de “grau de investimento”, pode até ser proibida de operar na Bolsa de Nova York. Aí, meus caros, é o fim da linha.
Mas não há horror que faça o comando da empresa descer de seu pedestal de arrogância. Nesta terça, em comunicado à dócil Comissão de Valores Mobiliários, a direção da estatal veio com a história de que Graça fora advertida por Venina para eventuais desvios de conduta apenas em novembro, como se isso fizesse alguma diferença a esta altura do jogo.
Dilma está vivendo um processo de alienação da realidade. Decidiu proteger sua “amiga” Graça Foster. Deve achar que há espaço para brincar de Clube das Luluzinhas Enfezadas. Não há. A Petrobras beija a lona, e a presidente da estatal brinca de desqualificar uma funcionária. Dilma não se deu conta de que o desastre decorrente da herança maldita do lulo-petismo na estatal está só no começo. O pior ainda está por vir.
E está mesmo. Com o preço do barril de petróleo no atual patamar, a exploração do pré-sal já é antieconômica. Pior: as regras de partilha definidas pelo petismo, com o seu nacionalismo de fancaria, impõem à Petrobras um desembolso de recursos de que ela não dispõe. Dilma estuda agora mudar as regras, que eram consideradas cláusulas pétreas da visão petista de mundo. Mas como? A turma ainda não sabe.
E já que o patético não tem limites, os petralhas deram início a uma corrente na Internet estimulando a companheirada a comprar ações da Petrobras. Ocorre que não se deve confundir mau-caratismo com burrice. Parece que a campanha não vai emplacar.
É fácil Dilma fazer a Petrobras voltar a valer R$ 700 bilhões no mercado. Basta anunciar que, depois de saneada, a empresa será privatizada. O mercado lerá nisso o sinal de que os ladrões e os petistas — e também os petistas ladrões — serão definitivamente chutados de lá. Os brasileiros não mais serão roubados — não na estatal ao menos —, e o Brasil efetivamente sairá ganhando.
FHC não quebrou o Brasil nem uma, nem duas, nem três vezes, à diferença do que disse Dilma na campanha eleitoral. Mas o PT quebrou a Petrobras.
Para encerrar: em 2013, o Bolsa Família repassou aos miseráveis R$ 24,5 bilhões. De fato, é uma merreca. Só o que a Petrobras perdeu em valor de mercado em seis anos corresponde a mais de 24 anos de Bolsa Família. Se a gente acrescentar o valor roubado com superfaturamento, chega-se perto da eternidade. Abreu e Lima, por exemplo, estava orçada em US$ 2,5 bilhões e, hoje, já está custando US$ 20 bilhões.
Os ladrões no Brasil perderam a modéstia e o senso de proporção

A PETROBRÁS NÃO FOI SUCATEADA, FOI DESTRUÍDA... O QUE DEVE SER FEITO COM O PT?!?!?!

 
 
 

 
 
 

 
 
 

 
 
 

 
 
 

 
 
 

 
 
 

 
 
 

 
 
 

 
 
 

 
 
 

 
 
 

 
 
 

 
 
 

 
 
 


TERRORISTAS NÃO SÃO HERÓIS, SÃO BANDIDOS. TORTURADORES TAMBÉM...


 
FRASE DE MILLOR FERNANDES SOBRE A BOLSA DITADURA:  "Quer dizer que aquilo não era ideologia, era investimento?".
 


Nesta semana, deu-se a conclusão dos trabalhos da denominada Comissão Nacional da Verdade e o relatório final da patifaria foi entregue à "presidenta" Dilma Rousseff, que chorou lágrimas de CROCODILMA, de saudades de seus tempos de guerrilheira, de sequestradora, de assaltante de banco etc, aquele cinismo todo, aquela hipocrisia filha da puta, mais uma demonstração em rede nacional da maior habilidade dos do PT : fazer-se de vítima, de coitadinho. Alguns números divulgados me chamaram a atenção. Porém, antes de dizer o que tenho a, quero deixar bem claro que em nenhum momento estarei a fazer pouco caso, a menoscabar da dor e do sofrimento das famílias que perderam algum ente querido durante o período do governo militar, tenha sido ele morto e/ou torturado pelos militares, tenha sido ele morto e/ou torturado pelos comunistas subversivos de merda - sim, os grandes "defensores da liberdade e da democracia", as "indefesas vítimas" dos militares também muito mataram e torturam. E o fizeram muito antes dos militares tomarem o poder - que fique bem estabelecido que a atividade desses grupos de guerrilha é anterior a 1964, encetadas no início da década de 60, no governo civil de João Goulart. TENHO PLENA CONSCIÊNCIA DE QUE, NA ESFERA PESSOAL E FAMILIAR, CADA FILHO, FILHA, PAI OU MÃE DE FAMÍLIAS MORTOS OU DESAPARECIDOS É UM DRAMA IRREPARÁVEL, UMA CHAGA INCICATRIZÁVEL, QUE LATEJARÁ EM SANGUE VIVO PARA O RESTO DA VIDA. Repito : jamais desprezaria esses dramas individuais. Mas e no âmbito nacional, e na escala de nação, mesmo? Será que a ferida deixada pelo governo militar é assim úlcera tão escalavrada? Pois eu digo que não. Digo que, em âmbito nacional, as duas décadas de governo militar foram - se foram - uma ralada no joelho, dessas de um tombo de bicicleta, cuja casca caiu há tempos e não deixou cicatriz ou qualquer outra indelével lembrança epidérmica. Sempre tive essa impressão, a de que os chamados movimentos de resistência à ditadura foram eventos localizados, restritíssimos, nunca algo de abrangência nacional. Até porque se houve alguma resistência àquela época, ela foi feita pelos militares, os militares foram os heróis da resistência, contra a canalha que SONHAVA (SONHA ATÉ HOJE) EM INSTALAR UMA FRANQUIA DE CUBA POR AQUI. Explico tal impressão : infância e adolescência vividas sob o regime militar - a chamada Nova República me encontrou já à entrada de minha maioridade -, nunca tive nenhum tipo de problema com o governo dos generais; pelo contrário, podia andar pelas ruas com muito mais tranquilidade, formei-me em uma escola mil vezes melhor que a escola em que hoje leciono etc etc. Nunca nem conheci ninguém que tivesse tido algum problema com os militares, fosse pai, tio, vizinho; aliás, nunca conheci ninguém que tivesse conhecido alguém que ouvira outro alguém contar que alguém tivesse tido lá suas desavenças com os militares. Claro que eu escutava o tempo todo que os militares eram o câncer da nação, a fonte de todos os nossos males, através dos meios de comunicação e, principalmente, DE PROFESSORES DE HISTÓRIA, ESQUERDISTAS, MARXISTAS, LENINISTAS, TROTSKISTAS E OUTRAS MERDAS MAIS. EU OUVIA AQUILO TUDO E, SINCERAMENTE, NÃO SENTIA NADA DAQUILO SE PROCESSANDO AO MEU REDOR. Mas eram professores bem formados e graduados a proferirem tal discurso antimilitar, bons professores, excelentes, alguns. E eu, um jovem apedeuta, durante um tempo, acabei também por engolir a conversa vermelhoide, a balela de que o país inteiro estava em grave litígio contra os militares, ávido por se livrar do jugo verde-oliva. Já mais adulto, e livre da doutrinação quase que messiânica dos professores de história, voltei a ter a impressão de que a maioria da população ou fora indiferente aos militares - pouco se lhe dava se era governada por fulano ou beltrano -, ou mesmo favorável ao regime, estivera satisfeita com o governo. Voltei a ter a nítida percepção de que os insurgentes eram uma ínfima parcela da população, um desprezível e numericamente insignificante bando de baderneiros, de criminosos querendo tomar o poder pelas armas e perpetrar sua própria ditadura, a tal do proletariado. Pois os números agora revelados pela Comissão Nacional da Verdade vieram a corroborar essa minha percepção : foram 434 baixas civis, entre mortos e desaparecidos; as baixas militares pelas mãos da malta comunista, a comissão da meia verdade não investigou. Quatrocentas e trinta e quatro pessoas em duas décadas de confronto. O REGIME DO TITIO FIDEL, O LÍDER ESPIRITUAL DOS PETISTAS, MANDOU QUASE 20 MIL AO PAREDÃO. Não é à toa que o historiador Marco Antonio Villa chama a nossa ditadura - e eu concordo com ele - de ditabranda. Qual significância estatística, ou mesmo histórica, de 434 baixas dentro de uma população que contava, à época, com 90 milhões de habitantes, 0,00048% da população? Basta olhar para esses números e constatar que nunca houve um movimento popular contra o governo militar e muito menos um clamor nacional a pedir pelo comunismo, e sim uma isolada amotinação de criminosos contra a soberania da nação. E desses 434, quantos de fato sabiam exatamente o que estavam fazendo, pelo que estavam lutando? SE 10%, JÁ ERA MUITO. Justamente os líderes do movimento, os cabeças da conspiração. A GROSSA MAIORIA DESSA PEQUENA MASSA ERA FORMADA PELO INOCENTE ÚTIL, COOPTADOS PELOS FILHOTES BASTARDOS DE FIDEL, PRINCIPALMENTE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS, FISGADOS EM SUAS INGENUIDADES, EM SEUS IDEALISMOS ACADÊMICOS E EM SUAS QUASE NULAS PERCEPÇÕES DA REALIDADE QUE OS CIRCUNDAVA PELA CANALHA VERMELHA. E NA HORA DO PEGA PRA CAPAR, ESSES JOVENS FEITOS EM BUCHA DE CANHÃO FORAM OS QUE SE FUDERAM DE VERDE E AMARELO. Os cabeças fugiram quando o pau quebrou, exilaram-se em outros países, deixando seus seguidores na mão. Os verdadeiros pústulas, os líderes da insurreição, foram os que menos sofreram na guerra provocada por eles próprios. Tanto que estão até hoje por aí, instalaram seu assentamento no Planalto Central do país e atendem genericamente pelo nome de PT. você que teve, por exemplo, um filho morto por um militar, culpe, sim, os militares pela morte de seu estimado rebento, pois foi um militar quem pôs o cano de uma arma na cabeça do sangue de seu sangue e puxou o gatilho. MAS CULPE PRIMEIRA E PRINCIPALMENTE OS COMUNISTAS, A TURMA DA DILMA, POIS FORAM ELES QUEM PUSERAM A CABEÇA DO SEU FILHO NA MIRA DO CANO DA ARMA DE UM MILITAR. (Este belíssimo texto foi gentilmente roubado lá do Blog A MARRETA DO AZARÃO. -  As manchetes e as imagens não fazem parte do texto original).



 

 

 

E PENSAR QUE O COLLOR CAIU POR CAUSA DE UM FIAT ELBA!!!

 
ABAIXO, A MATÉRIA COMPLETA DE VEJA QUE MOSTRA O "DELIVERY" DE PROPINA PAGA COM DINHEIRO ROUBADO QUE DERRETERAM A PETROBRAS   DE FIO A PAVIO, DE CABO A RABO...
 







 

 


 

 





O BLOG MAIS ANTIGO DE GARANHUNS FOI O PRIMEIRO DO NORTE E NORDESTE QUE ANUNCIOU A MORTE DE EDUARDO CAMPOS ÀS 12:56.


 

 


PRESTES A COMPLETAR SETE ANOS E APÓS 120 DIAS DA MORTE TRÁGICA DE EDUARDO CAMPOS, O BLOG CHUMBO GROSSO SAIU NA FRENTE E FOI O PRIMEIRO A CONFIRMAR E FAZER POSTAGEM DAQUELA TRAGÉDIA, ANTE TODOS OS BLOGS DE PERNAMBUCO.  QUIÇÁ, DO NORDESTE!!! A POSTAGEM FOI FEITA PRECISAMENTE ÀS 12:56 DO FATÍDICO DIA 13 DE AGOSTO DE 2014.


 

O PRIMEIRO BLOG DO BRASIL QUE ANUNCIOU A MORTE DE EDUARDO CAMPOS FOI O DE SANTA CATARINA, BLOG DO CORONEL, PRECISAMENTE, ÀS 12:43min.

 

Morre Eduardo Campos.

Confirmada a morte de Eduardo Campos, aos 49 anos, pelo deputado Júlio Delgado, do PSB de Minas Gerais.
109 comentários
 
 

BLOG CHUMBO GROSSO – GARANHUNS - PE

MORRE EDUARDO CAMPOS

Confirmada a morte de Eduardo Campos pelo deputado Júlio Delgado, do PSB de Minas Gerais.

 

 
 

BLOG DE JAMILDO

 
acidente

Eduardo Campos morre em queda de avião em São Paulo

PUBLICADO EM 13/08/2014 ÀS 13:01 POR AMANDA MIRANDA EM NOTÍCIAS
Foto: divulgação/PSB
O ex-governador de Pernambuco e presidenciável Eduardo Campos (PSB) morreu na manhã desta quarta-feira (13) na queda do jatinho que o levava para Santos, em São Paulo. Eduardo morreu no mesmo dia que o seu avô, Miguel Arraes, que faleceu em 2005. O candidato completou 49 anos nesse domingo (10).
De acordo com a Força Aérea, a aeronave Cessna 560XL, prefixo PR-AFA, caiu às 10h. “A aeronave decolou do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino ao aeroporto de Guarujá (SP). Quando se preparava para pouso, o avião arremeteu devido ao mau tempo. Em seguida, o controle de tráfego aéreo perdeu contato com a aeronave”, diz nota da Aeronáutica.
“O avião saiu do Rio para o Guarujá para o candidato participar de uma palestra sobre a questão portuária. O tempo estava muito ruim e o avião arremeteu. Ele era muito jovem e determinado, com uma carreira muito extensa para a idade”, afirmou o presidente do PSB em São Paulo, Márcio França, que estava no aeroporto esperando a chegada dos aliados. Ele chegou a ver o avião arremetendo.
França confirmou que a mulher dele, Renata Campos, está em casa, no Recife. Eduardo deixa cinco filhos, sendo o mais novo o pequeno Miguel, que costumava viajar com ele durante a campanha.
Eduardo Campos teria entrevista coletiva na Praia do Mercado, seguida de curta volta de catraia (meio de transporte da região portuária). Às 12h, no Guarujá, participaria do seminário Santos Export – Fórum Internacional para a Expansão do Porto de Santos, no Hotel Sofitel Jequitimar. Às 14h30, em Santos, concederia entrevista à TV Brasil (Band).
Adversário de Eduardo Campos nas urnas, mas amigos na vida pessoal, Aécio Neves (PSDB) cancelou a viagem a Pernambuco, no próximo domingo (17). A presidente Dilma Rousseff (PT) também cancelou a agenda desta quarta-feira (13).
BIOGRAFIA - Eduardo Campos nasceu em 1965, neto de um grande nome da política nacional, o ex-governador de Pernambuco Miguel Arraes. Iniciou a vida política ainda na década de 1980, ao lado do avô. Foi candidato a prefeito de Recife, já foi deputado Federal e ministro da Ciência e Tecnologia no primeiro mandato do presidente Lula.
Em 2006 se lançou como candidato ao Governo de Pernambuco, numa campanha em que aparecia nas primeiras pesquisas em posições pouco favoráveis. Com o início da campanha foi ganhando espaço e desbancou Humberto Costa, candidato do PT, à época e chegou ao segundo turno, quando disputou e saiu vitorioso na disputa com Mendonça Filho (DEM).
Eleito para um segundo mandato em 2010, o governador apresentou a maior eleição na história da democracia brasileira: mais de 80% dos votos válidos para governador em Pernambuco foram para Campos.
O socialista, presidente do PSB, deixou cargo de governador no início de 2014 para se dedicar à campanha presidencial, entrando em embate direto com o PT, que começou ainda no pleito municipal de 2012, quando o partido socialista decidiu lançar candidato próprio para Prefeitura de Recife. Em novembro de 2013, o PSB resolveu entregar todos os cargos que ocupava no governo federal, deixando de vez a base governista.
Recentemente, Eduardo Campos desferia várias críticas à presidente Dilma Rousseff (PT), porém sempre se mantendo com reservas ao falar do ex-presidente Lula, um de seus padrinhos políticos.
Campos se lançou candidato a presidente numa chapa com a ex-ministra do meio ambiente, Marina Silva (PSB/REDE), terceira colocada na eleição presidencial de 2010, quando conquistou 20 milhões de voto.
Marina foi impedida de criar sua própria legenda por falta de assinaturas. A chapa de Campos e Marina aparece nas pesquisas de intenções de voto na terceira colocação.
 
 
 
 
BLOG DO RONALDO CESAR

 

 

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

MORRE EDUARDO CAMPOS



A Rede Record está informando a morte de dez pessoas no acidente aéreo em Santos, agora pela manhã. Um deles é Eduardo Campos.

A Record está buscando a informação se Renata Campos, e um dos filhos do casal também estavam na aeronave.

Dos dez mortos, oito estavam no avião, e dois eram das casas atingidas. Não há sobreviventes de quem estava no avião.

Traremos mais informações.

BLOG DO MAGNO MARTINS


Confirmada a morte de Eduardo Campos

O candidato à Presidência, Eduardo Campos (PSB), morreu na manhã de hoje. Eduardo estava a bordo de um jatinho que caiu na cidade de Santos, em São Paulo. No avião também estava o assessor pessoal de Campos, Carlos Percol. O avô de Eduardo e principal referência política para ele, Miguel Arraes, morreu em 2005, também no dia 13/08.
 
Escrito por Magno Martins, às 13h02

 

 
BLOG DE ROBERTO ALMEIDA

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

MORTE DE EDUARDO DEIXA O BRASIL DE LUTO

A morte de Eduardo Campos hoje pela manhã, num acidente aéreo em Santos, em São Paulo deixou perplexos todos os brasileiros.

Quem era seu eleitor e fã sentiu o baque. Mas mesmo quem estava com Dilma, Aécio ou o pastor Everaldo ficou passado.

Será que não é mentira, não estamos sonhando?

Estas perguntas foram feitas por muitas pessoas em lugares diversos do Brasil.

Um homem forte, bonito, poderoso, bem sucedido na vida acabar assim, sem aviso prévio, sem direito a defesa nem uma segunda chance para continuar sua jornada... Como é que pode?

Milhões de brasileiros devem ter assistido ontem à noite a entrevista de Eduardo Campos na TV Globo. O socialista se saiu muito bem e a expectativa era que ganhasse alguns pontinhos junto à opinião pública devido a sua desenvoltura.

Como é possível que o ex-governador que estava ontem na TV, falando daquele jeito, vendendo saúde, hoje está morto e nada se pode fazer para trazê-lo de volta? Essa é outra indagação que deve estar sendo feita por pernambucanos e brasileiros.

Tudo é destino? Tudo está traçado?

Por que Eduardo Campos morreu? E essa coincidência de ter sido no mesmo 13 de agosto da morte do avô Miguel Arraes, será só coincidência?

Ana Arraes, mãe do candidato socialista, estava numa solenidade quando recebeu a notícia. Logo se recolheu a sua residência. Imagine caro leitor o desespero dessa mulher que perdeu o filho quando este estava no auge, querendo alçar seus maiores voos.

Marina Silva, vice de Eduardo Campos na chapa do PSB, ficou tão chocada que se trancou em casa, no primeiro momento não quis conversar com ninguém da imprensa sobre a fatalidade.

Eleitores ou não de Eduardo estamos todos chocados e enlutados, surpresos – mais uma vez – de como a morte é traiçoeira e tem o poder de acabar com todos os sonhos e mudar tudo. Na política e na vida.

Como fica agora a sucessão presidencial? Imprevisível. A própria Dilma, Aécio, os candidatos dos partidos pequenos, devem estar todos meio atarantados, hoje pelo menos não há clima para nenhum deles fazer campanha.

A partir de amanhã, ou dos próximos dias, quando a gente cair na real e começar mesmo a acreditar nesta notícia que já está em toda a internet, nas rádios, nas emissoras de TV, aí as coisas começarão a encaixar, haverá como uma aceitação do inaceitável e os políticos voltaram a se digladiar, criticar, cobrar, prometer...

Nós pernambucanos já choramos muitas mortes de pessoas que aprendemos a admirar: de Dom Hélder Câmara, o "santo comunista", como o apelidaram, de Miguel Arraes, o pai arraia dos pobres; de Luiz Gonzaga, aquele que levou o Nordeste para o Brasil e o mundo.

E choramos Marcos Freire, que também morreu moço num desastre de avião, como esse de agora.

Agora, estamos todos enlutados por Eduardo Campos. Independente de estarmos ou não em sintonia com suas ideias, suas opções do momento, suas estratégias para ganhar votos, consideramos todos uma insensatez, uma estupidez, uma loucura, uma pegadinha de mau gosto alguém morrer assim, quando estava quem sabe perto do seu melhor momento.

Neste instante, não dá para ter partido nem opção de voto. Estamos todos órfãos, solidários com Renata Campos e seus filhos, principalmente o pequeno Miguel, que nasceu há meses com Síndrome de Down, conforme anunciou o próprio pai.

A morte de Eduardo Campos neste mês aziago de agosto (que também levou Getúlio) é mais uma tragédia na vida política brasileira. Estamos todos perplexos e fazemos perguntas que não têm respostas neste lado de cá.

Apenas acima de nós pode haver uma explicação. Deus, apenas Ele, poderá nos confortar e nos dá a resposta que procuramos. (Foto: NE-10/Jornal do Commercio).

 

 
 
MENSAGEM DE MARINA SILVA:
 
“Quero pedir a Deus que sustente a Renata, ao Zé, ao João, a Duda, o Pedro, o pequenino Miguel e a todos os familiares dos companheiros de Eduardo Campos. Esta é, sem sombra de dúvida, uma tragédia. Uma tragédia que impõe luto e muita tristeza. Eu sei que os brasileiros estão compartilhando com cada um de nós e principalmente com sua família, com seus amigos e conosco. Durante esses 10 meses de convivência aprendi a respeitá-lo, admirá-lo e a confiar nas suas atitudes e nos seus ideais de vida. Foram 10 meses de intensa convivência e, como eu disse, começamos a fiar juntos principalmente a esperança de um mundo melhor, de um mundo mais justo.
Eduardo estava empenhado com esses ideais até os seus últimos segundos de sua vida e a imagem que eu quero guardar dele foi a da nossa despedida de ontem – cheio de alegria, cheio de sonhos, cheio de compromissos.
É com esse espírito que eu peço a Deus que possa sustentar sua família, consolar sua família e também a todos nós.”
 
ALGUÉM PODE ATÉ QUERER ME ROTULAR DE MESSIÂNICO, DIVINO OU DE ALGO PROFÉTICO, MAS O AVIÃO CESSNA 560 XL, PREFIXO PR-AFA EM QUE VIAJAVAM EDUARDO CAMPOS E OUTRAS SEIS PESSOAS FOI PLANEJADO PARA NÃO CAIR...
 

 

 

 
 

FIM